domingo, 22 de dezembro de 2013

Wanted, dead or alive

Yellow.


Ontem acabei as aulas. Só ontem, é verdade. Lá acordei às 6:40 porque tinha aula de Inglês V na ESHTE das 9:00 às 11:00 e já que tinha faltado na segunda-feira,  não podia faltar mais porque quero ver se passo à cadeira. A aula acabou pouco depois das 10:00. O problema é que não fiquei de "férias" aí. Ainda tive que ir para Belém porque às 14:00 fui fazer a minha apresentação do Museu dos Coches. Arruinei a minha dieta a almoçar no McDonald's e a apresentação correu muito pior do que o esperado, o que é sempre bom. Estava tão pouco preparada, tão cansada da última semana de aulas, tão desmotivada por tudo isto e por ter sido estúpida ao ponto de escolher o último dia de aulas para apresentar que só piorei tudo. Só conseguia pensar em vir para casa. Odiei tudo no dia de ontem. Mas não vim fazer queixinhas da minha vida académica. Vim aqui queixar-me de outras coisas e fazer outro tipo de desabafos. Se alguém souber onde se foi meter o meu espírito natalício, que me avise o quanto antes. Gostaria de saber. Estou totalmente sem paciência para o Natal e para tudo o que isso implica. Sinceramente, só quero que o Mundo vá dar uma volta ao bilhar grande que a vida não está para Natais da treta. Ainda agora recebi uma mensagem da Joana a desejar aqueles bla bla blas todos. Obrigada Joana, és linda! (Meh, também tenho que enviar as minhas. Maybe tomorrow que hoje ainda é dia 22). Acreditam que estou aqui deitada na cama, que nem sequer é a minha, sem nada que fazer desde as 15:00? Podia ser óptimo do ponto de vista de uns, mas este a odiar isto. Nem filmes, livros, pc, tv, nada. Estive literalmente a olhar para o tecto. Só agora é que fui buscar o tablet, que não estava carregado. Nem dormir consigo! Boa, Mariana. É o que se quer. Ficar aqui deitada e sossegada horas a fio, no quente e a ouvir os carros a passar lá ao fundo na estrada e pensar na ironia de que essas pessoas andam a fazer a vidinha delas e eu aqui a ver a vida a passar.  É triste ver que tenho uma vida tão monótona ao ponto de não ter nada para me fazer levantar nem sequer ninguém que me faça sentir ouvida. Nem tenho com quem me queixar do frio que tem estado em Sintra. Bonito, não é? Claro que tenho trabalhos para fazer e matéria para estudar, mas é óbvio que estou melhor aqui a meditar o quão deprimente consigo ser. Procura-se o meu Natal. Procura-se o meu eu. Vivos. Ou mortos. Também são capazes de servir.

Mary Xmas.

Sem comentários: