quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Ele sempre teve o Factor X, só não o reconhecimento


Pois é, diz que o Berg ganhou o Factor X! Teófilo Sonnemberg. 41 anos. Passo a citar, palavras do artigo da Blitz:

"O músico, cujo verdadeiro nome é Teófilo Sonnemberg, integra o Rui Veloso Trio e vai subir aos palcos dos Coliseus com o músico nortenho no final de mês de março.
Profissional há duas décadas, Berg é multi-instrumentista - toca guitara, bateria baixo e harmónica, entre outros instrumentos - e compositor, tendo já atuado em palcos de festivais, como o Rock in Rio, e colaborado em álbuns de artistas como Rita Guerra ou Boss AC.
Em entrevista ao Correio da Manhã, o músico explicou que já fez "dois discos" mas que "as editoras puseram-nos na gaveta"."



A verdade é que desde muito cedo que vai na volta, aparecia o seu nome. Sempre como back-vocals e sempre elogiado, mas aparecia e ouvia-se falar, ainda que pouco. São os exemplos:

Esta fazia parte da banda sonora da primeira série dos Morangos com Açúcar (era o genérico?). Quem não se lembra da Joana e do Pipo? Da Patricia Candoso? 

Participação no refrão com Boss AC, em um dos seus singles com mais sucesso - Princesa.

Há cerca de dois anos, tal não foi o meu espanto quando o meu pai e o meu irmão chegam a casa com a noticia e o orgulho de que tinham tido o prazer de tocar com o Berg e o João Dungo. Reconheceram o seu talento, e mostraram o seu desejo de continuar a tocar com ele, em outras ocasiões. Porque nestas experiências, só se tem a ganhar. Sobretudo a nível artístico. Deixo-vos aqui a foto que eles tiraram, nesse dia:


Foi então uma sensação de espanto aqui em casa quando ele apareceu pela primeira vez no Factor X, na sua audição. Desde logo que achámos que ele devia ganhar e que era bastante corajoso da parte dele, que depois da sua carreira "feita", viesse mostrar-se num programa como estes. Reparem nos olhos da Sónia e em como todos os jurados não conseguem ficar quietos nas cadeiras, como se tivessem, como dizia a minha avó, bicho carpinteiro. 


Esta é uma das minhas prestações preferidas dele, no Bootcamp, durante o progama. Cantou Happy, de Pharrell Williams, para conseguir o seu lugar no "Top 8" da categoria da Sónia Tavares e claro, ela deu-lhe um lugar nas cadeira, apesar de ter mandado embora o Ruben. Confesso que acho que o Ruben tambémmerecia um lugar, e que poderia ter sido um dos outros 7 a levantar-se. Uma das senhoras, porque não? É que havia lá com cada uma... Enfim.


Têm que agora perceber a felicidade que foi cá em casa quando ele foi anunciado o vencedor. O meu pai até se levantou. Foi aquela sensação de que a justiça foi feita, talvez pela primeira vez, num programa como estes na televisão portuguesa. Foi orgulho, felicidade, sei lá mais o quê. Foi merecidissimo, já não era sem tempo que um talento como estes fosse reconhecido a solo, sem ter que ficar sempre "atrás nos cenários". Porque esta voz vale muito mais do que muitos lead singers. Deixo-vos com o single que o Berg lançou após ter sido galardoado como o vencedor deste programa, "Tell Me", que já é número um no iTunes. Vá-se lá saber porque será, não é? Ficam também com a música dele com que eu mais me identifico, pela sua letra. Esta música, "Palavras" do albúm Mundo (que recebemos cá em casa há umas semanas e que tem sido a playlist no carro do meu pai) diz-me muito porque não há como uma boa música para expor ao mundo como nos sentimos. Um grande bem-haja ao Berg, quero muito vê-lo em breve ao vivo, a solo. Fiquem com o seu Facebook.  

Tell Me, single da Sony Music

Palavras, do albúm Mundo

1 comentário:

Ester Ramos disse...

não acompanhava sempre o programa mas era o meu concorrente preferido porque realmente tinha muito potencial e infelizmente o seu trabalho ainda não tinha sido reconhecido, mas a sua hora lá chegou felizmente!

SHE WALKS Blog